FREELAS
freelasconecta 29 de Janeiro de 2021 :: Atualizado em 04 de Junho de 2021

Economia colaborativa e criatividade

De que forma a sua empresa está inserida na economia colaborativa? De que forma você, como gestora ou gestor, vê a necessidade da colaboração e sustentabilidade na empresa? Estes conceitos estão cada vez mais em alta no mercado e na sociedade, por isso, pensar mais sobre eles é fundamental para não ficar para trás, afinal, o futuro é agora. Leia este post e saiba tudo sobre o tema!

Para começar, vamos utilizar uma metáfora muito simples: sua empresa é mais ponte ou muro?

Atualmente, conceitos como colaboração e sustentabilidade estão mais presentes no mercado, e certamente trazem reflexões e mudanças fundamentais para o crescimento de uma nova economia, mais alinhada com as necessidades de quem consome.

Sendo assim, a posição que sua empresa adota diante do colaborativo e do sustentável está diretamente ligada à função tanto da ponte como do muro.

Como assim? É simples: a colaboração, valor que está cada dia mais requisitado pelo público (oito a cada dez pessoas acreditam que esta é uma boa prática), é a ponte. Outras posições, que se atentam mais a uma economia individualista, são o muro.

Está achando abstrato demais? Então continue lendo para entender melhor, pois acolaboração, a criatividade e a sustentabilidade são o futuro (que inclusive já chegou), e porque você precisa pensar mais sobre o assunto.

O que é colaboração?

Colaborar e cooperar são conceitos que vêm aparecendo com mais frequência nas empresas mundo a fora. Isso porque, com a mudança do olhar de quem consome, se torna necessário pensar em estratégias de criar pontes entre empresas e também entre empresa e público.

De acordo com os dicionários, colaborar é ajudar, dar auxílio e trabalhar em conjunto. A colaboração não é um conceito novo, e nem uma palavra que recém chegou ao dicionário.

A colaboração existe desde sempre, mas durante um tempo acabou ficando esquecida, já que a sociedade ficou mais separada, vivendo de forma individual e olhando mais para as próprias necessidades — sendo muro.

No entanto, de uns tempos para cá, ser muro acabou se tornando obsoleto, e o conceito de ponte cabe melhor agora. Colaborar é dividir, é trocar, é estabelecer um contato que possa trazer benefícios para os dois lados, e por que não, para toda a sociedade.

É por isso que, como você vê melhor a seguir, a economia colaborativa deixou de ser só uma perspectiva e passou a ser nossa realidade.

Qual a importância da economia colaborativa?

Sabe aquela história de que a gente nasce sozinha e morre sozinha? Não serve mais. Agora, quanto mais unidas estamos, melhores ficamos. Isso porque a tendência é compartilhar saberes, interesses, informações, entre várias outras coisas, de maneira mais simples, visando o bem-estar do outro, obter novas experiências e conhecer outras realidades, acima de apenas lucrar.

Principalmente com o avanço da tecnologia, trabalhar, conviver e compartilhar de forma colaborativa tem se tornado ainda mais fácil.

Além disso, o fato do mundo estar conectado na internet fez com que diversas plataformas colaborativas como o FREELAS (plataforma que conecta mulheres freelancers da economia criativa e busca dar mais oportunidades profissionais à elas) e alguns outros exemplos como Tem Açúcar? e Airbnb, acabassem surgindo e trazendo mudanças muito significativas para a economia.

Com estas plataformas de compartilhamento, a maior inovação é a mudança na moeda de troca, que muitas vezes não é o dinheiro. Sendo assim, emprestar e cooperar surgem como uma nova forma de diminuir gastos e reduzir impactos, que vem sendo muito bem aceita, principalmente porque quem consome agora está muito preocupado com o impacto que causa no mundo e com encontrar opções mais sustentáveis de viver em sociedade.

Nesse cenário colaborativo, também é importante mencionarmos o crescimento e a importância da economia criativa, que se trata de utilizar capital criativo e intelectual para fortalecer o cenário econômico, na qual se encontram profissionais das área da tecnologia, cultura, mídias e consumo.

Sendo assim, o fomento à economia criativa é fundamental para a economia como um todo, porque todas as áreas que a integram geram milhões de empregos e são fundamentais para a inovação — inclusive, são os profissionais da economia criativa que trazem algumas das inovações mais importantes como as plataformas colaborativas que falamos antes.

Negócios sustentáveis e a economia colaborativa

Ok, tanto o olhar como as práticas de quem consome estão mudando em prol do coletivo, mas como aplicar nas empresas?

Para agregar conceitos como colaboração, criatividade e sustentabilidade em uma empresa consolidada e torna-la mais inovadora, é fundamental visar, além do lucro, o impacto social da empresa. Nesse sentido, é fundamental que você, como gestor de uma empresa, pense em estratégias que mostrem que a corporação está preocupada e, mais que isso, disposta a colaborar com a sociedade: isso significa agir com responsabilidade social.

Portanto, é necessário que o negócio seja sustentável, no sentido de preocupar-se com o entorno e com trazer opções inovadoras, que realmente mudem a atuação das empresas no mercado, a fim de promover alterações significativas na sociedade. Aqui, a sustentabilidade está sim, ligada ao meio ambiente, mas aparece também de forma mais ampla. Nesse cenário colaborativo, é necessário mostrar que sua empresa se interessa em contribuir com o mundo e com o futuro e não só com ela mesma.

Além de promover benefícios na sociedade, a economia colaborativa e a sustentabilidade também são vantajosas para as empresas, pois ajudam na diminuição de gastos, evitam o desperdício e geram engajamento do público. Para isso, é essencial que as grandes empresas adotem uma cultura alinhada nos mesmos valores do público consumidor, e que possam prestar suporte às empresas menores, além de contratar profissionais da economia criativa.

Neste artigo, falamos sobre como a colaboração, a criatividade e a sustentabilidade são o futuro da economia e também de sua empresa. A partir de agora, vale repensar a cultura que rege seu negócio, e de que maneira sua gestão pode alavancar os resultados se partindo dos valores da economia colaborativa.

Quer saber mais sobre o assunto? Acesse as outras matérias do nosso blog!

Ana Clara é redatora há 3 anos, certificada em Produção de Conteúdo para Web, Marketing de Conteúdo e Copywriting. Ela escreve para diversos nichos textos otimizados para franquear melhor os blogs na internet e escrita acadêmica. A Ana faz parte do FREELAS e pode ser contratada através da plataforma. Conheça o trabalho dela e das mais de 200 profissionais cadastradas na plataforma!

Últimos posts

Ver todos

Gostou das dicas? Deixe seu comentário.

0 comentários.